• BH Peças Toyota

Conheça um pouco mais sobre o comando de válvulas!


O comando de válvulas tem uma composição que consiste em um formato cilíndrico no qual estão fixados os conjuntos de peças ovaladas, chamadas cames ou ressaltos. O veio é uma peça que tem um conjunto de apoios que servem para assegurar a estabilidade durante o movimento rotativo dos pistões. Dependendo do modelo do carro, o comando de válvulas pode estar localizado em pontos diferentes. Em alguns motores, há a possibilidade de existirem duas árvores de comando, localizadas no cabeçote do motor. Nesses modelos, uma das árvores de comando fica nas válvulas de admissão e a outra, nas válvulas de escape.


. Como funciona o comando de válvulas?

O comando de válvulas tem funcionamentos específicos que mudam de acordo com a velocidade. Desse modo, os processos são diferentes para quando o carro está em baixa velocidade e quando está em alta velocidade. Primeiramente, é importante entender que o momento em que a árvore de comando gira a responsabilidade e a função de abrir e fechar as válvulas de admissão e escapamento fica por conta dos ressaltos. Esses movimentos que ocorrem devem ser feitos em sincronia com o balanço do pistão. É importante frisar que há uma relação direta entre o formato dos ressaltos e a forma como motor vai operar independente se a rotação for baixa ou alta.


. Relação em baixa velocidade

Essa é a forma mais simples de funcionamento do Comando de Válvulas. Isso acontece da seguinte maneira: no momento em que o pistão começa a se movimentar para baixo, no curso de admissão, a válvula que está ligada diretamente a esse sistema se abrirá. Esta mesma válvula deve fechar, enquanto o pistão continuar descendo. Esse processo deve ser feito até que ela se feche completamente, ou seja, até o momento que o pistão atingir o ponto mais baixo, durante a movimentação. Quando isso acontece, o ciclo se reinicia e começa da estaca zero.


. Relação em alta velocidade

Após compreender a questão do comando de válvulas em baixa velocidade, entender o funcionamento em alta velocidade também é relevante. O processo começa assim: no momento em que a válvula de admissão abre e o pistão começa a se movimentar no curso de admissão, em baixa velocidade, ocorrerá uma aceleração da mistura ar e combustível no tubo de admissão, que entrará no cilindro. Nesse caso, assim que o pistão chega ao fim do curso de admissão, a mistura de ar e combustível, estará se movendo em alta velocidade. E assim que ela atingir essa velocidade, a mistura dos dois itens será muito maior e mais frequente. Assim, será preciso que a válvula de entrada permaneça aberta por mais tempo, diferente do que acontece quando ela está em baixa velocidade. Durante a relação do comando de válvulas em alta velocidade, existe também a necessidade de que ela se abra mais a velocidades maiores e constantes. Isso é determinado pelo perfil do ressalto.


E aí, gostou dessa curiosidade?! Nos conte nos comentários! Peças e acessórios seminovos com garantia de procedência para o seu veículo Toyota, você encontra aqui.


#dicasdeblog #bhpecastoyota #toyotabh #sucata #pecasseminovas #curiosidades #carros #cuidados #comandodevalvulas